Dicionário do Couro

Acácia

Gênero das leguminosas mimosóideas, que abrange cerca de 800 espécies nativas das regiões mais quentes da Austrália, e da África. Estes vegetais despertam atenção não somente pelo teor, mas também pelas características do tanino extraído de suas cascas, capaz de criar couros de boa qualidade e por ter um ciclo vegetativo curto, proporcionando um apreciável rendimento econômico. Além de servirem de madeira para construção, combustível e também de matéria prima para a indústria da destilação de madeira e celulose.

Antílope

Gênero de ruminantes do velho mundo da família dos bovídeos, na África, de cifres não caducos, ocos, escavados. Notável pela elegância de formas, ligeireza de movimentos e rapidez da carreira. Obs.: Não existe pele deste animal disponível no mercado e o uso da palavra antípole para se referir á de qualquer outro animal é um equívoco.

Avestruz

A pele de ave mais comum usada para o couro. O couro é resistente, macio, fácil de extrair e de tingir, e possui marcas características do implante das penas, o que é muito valorizado. A pele das pernas parece escamosa e assemelha-se ao couro de répteis. Com as peles são fabricados sapatos, cintos, carteiras, bolsas, pastas e pequenas peças de vestuário como coletes e almofadas para os ombros.

Bezerro

Couro feito das peles de gado jovem. A pele de bezerro é lisa, uniforme em peso, poros pequenos e, pode ser utilizada em diversas cores e acabamento natural. Os poros fechados e a fibra rígida que a compõem e a ausência de cicatrizes ou marcas adicionam valor para esta pele. Recebe e mantém, facilmente, um alto brilho. Este couro é esplêndido para artigos de vestuário como coletes, jaquetas, chapéus etc. e é freqüentemente a base para verdadeiro couro envernizado (Couro que tem um acabamento brilhante e liso produzido por óleo, verniz e resina e coberto com uma chapa.).

Bilbao

(Derivado de gado bovino) – com aparência mais rústica e robusta, é ideal para calçados jovens, com ar descontraído e toque natural, lembrando os couros atanados.

Box

(Derivado de gado bovino) – couro lixado, com forte pigmentação, de aparência bastante polida, fácil manutenção, porém bastante duro. Antigo cromo alemão.

Bovino

Mais pesado que a pele de bezerro, o couro bovino é o couro mais comum. Por causa de sua força, durabilidade e "capacidade de respiração" é ainda o melhor material de sapatos, bolsas, pastas e muitos acessórios pessoais. Outro uso importante do couro bovino está na confecção de estofamentos.

Búfalo

É pesado, mas suave. È mais forte que o bovino e tem um padrão de flor especial. O Búfalo da Índia está sendo cada vez mais usado para a fabricação de vestuário motoqueiro e acessórios. È um couro menos caro que o bovino.

Canguru

Supostamente mais suave que a vaca, é um dos couros mais fortes já conhecidos. O peso leve e textura boa de couro de canguru também o fazem altamente apreciado na indústria da moda e outras indústrias. Peles de canguru são conhecidas pela resistência á tração e flexibilidade. È altamente utilizada na produção de sapatos esportivos de alta qualidade. A maioria das chuteiras de futebol usadas por jogadores internacionais é feita de couro de canguru.

Chamois

vocábulo da língua francesa usado para designar a pele de ovino trabalhada e acabada pelo avesso da flor ( carnal ).

Camurça

Ruminante bovídeo das montanhas européias, que tem os cornos revirados para trás.

Pele deste animal, preparada para arreios, calçados, luvas, etc.p.ext.: pele proveniente de suínos, muito semelhante á do animal original. Difere dos chamois pelo tamanho dos poros, que são maiores e mais visíveis e possui maior espessura. Em conseqüência, menos caimento do que o chamois.

Camurça Bovina

Também chamada "raspa", normalmente um subproduto, do couro, pois é sua camada inferior, também pode ser encontrado, como avesso de um couro curtido para camurça, o que a torna mais duráveis, e resistentes a rompimentos, porém não sendo diferente em sua manutenção.

Carnal

Parte de baixo da derme. È lado de baixo dos couros. No caso da pele de ovinos é a parte aproveitada para fazer o couro chamois.

Cavalo

Pele de cavalo ou potro - usada muito para vestuário.

Cervo

Criado em cativeiro, no norte da Itália, estes animais produzem carnes e peles macias, uma característica única, com um toque sedoso, ideal para sapatos de conforto ou finos, por ser um produto de valor muito elevado.

Coelho

É uma pele muito fraca para ser utilizada para couro, mas é muito boa quando usada com pêlos para forros de vestuários.

Couro Caprino

Couro proveniente do rebanho caprino (cabra, bode). Este couro pode ser trabalhado na flor e no carnal; se na flor, teremos a NAPA; se no carnal teremos a camurça de cabra. Esta é considerada a melhor pele para fazer calçados, luvas e acessórios. Pelo seu tamanho, também recebe a denominação de pelica.

Couro de Beisebol

Couro usado para cobrir as bolas de beisebol. Antes de 1974 as bolas eram cobertas com couro bovino; hoje as bolas de qualidade são cobertas com couros de cavalo curtidos ao alume.

Couro Ovino

Couro proveniente do rebanho ovino (ovelha,carneiro,borrego). A espécie de ovinos "deslanados", no Brasil, desenvolve-se apenas no Nordeste, região quente e seca.

Couro Vacum

Ver bovino

Curtimento

È o processo de transformação físico - química da Pele putrescível para o Couro em estado imputrescível.

Curtume

È a indústria de fabricação de couros.

Estampa no Couro

O couro pode ser acabado na flor com a impressão de estampas conforme as tendências de moda: cobra, avestruz, madras, croco, relax , outros répteis, etc.

Flor

É o lado do couro que tem pêlo, parte de cima da derme. È a parte da pele usualmente aproveitada para os mais diferentes acabamentos: napa, verniz, cromo, semi-cromo, semi-anilina , anilina , box, estampas ( como croco, madras, avestruz,cobra,etc.)

Flor corrigida

Couro que teve a superfície original da pele ou couro levemente lixada, (normalmente devido as imperfeições na superfície da flor original), e uma flor nova é gravada no couro.

Foca

Pele de foca

Fulões

São os tambores que se utilizam para mesclar substâncias químicas nas industrias que fabricam os couros chamdas de curtumes.

Jacaré

Ver réptil

Lagarto

Ver réptil

Marroquineira

É o trabalho efetuado com o couro fino com o qual se produz bolsas, maletas, etc.

Mestiços

Couro macio, bastante maleável, com pouco brilho, de poro mais abertos que a pelica, mas também de boa qualidade, e apresentando características muito semelhantes á da pelica. A pele dos ovinos com lã, criados no Sul do Brasil não é boa para industrializar. Ela só é aproveitada com a própria lã.

Napa

Originalmente, só as peles de carneiro eram chamadas de Napa. Porém ultimamente, a palavra "napa" se tornou um adjetivo que significa "suave" e agora este termo cobre todos os couros com uma superfície lisa e suave que vem da pele exterior (lado de cabelo) do animal. Napa divide-se em 3 grupos principais:

  • Pura anilina (anilina flor integral, verdadeira anilina, anilina desnuda, ou natural).
  • O couro de qualidade mais elevada deixado em seu estado natural e puro sem qualquer cor que cubra ou acabe. Este couro é muito procurado e muito caro. Este tipo de couro permite observar a beleza natural da flor com algumas marcas da pele, embora se utilizem as melhores peles para este artigo – a principal razão pela qual a napa anilina é mais cara que as outras napas.
  • Semi -anilina- couro que foi completamente tingido e recebeu um a pequena camada de tinta que cobre os menores defeitos da superfície mas sem esconder as características naturais da pele. Eles oferecem uma combinação da suavidade e toque de couro de pura anilina com os benefícios protetores de uma superfície acabada.
  • Pigmentadas – couros pigmentados que tem uma camada colorida com pigmentos opacos e padrão de flor gravada com relevos para assegurar uma aparência uniforme, resistência para enfraquecer e esconder qualquer defeito nas peles.

Nonato

Terneiro que se tira do ventre da vaca quando esta é carneada

Nubuck ou Nobuck

De aparência aveludada, não pode ser engraxado, requer cuidados especiais na sua manutenção, e conservação.

Peccary

Pele de javali selvagem nativo para o Central e América do Sul; semelhante à pele de porco.

Pelica

Usado para sapatos mais clássicos ou com uma proposta de conforto, podendo até ser apresentado em sapatos de moda. Pele fina, macia, normalmente com brilho, também encontrada em versão de camurça. Por ser fina em sua espessura, pode romper mais facilmente.

Porco

Tem inconfundíveis marcas e é principalmente usado para artigos de mão como bolsas, carteiras, luvas e malas.

Réptil

Couro de tartarugas, serpentes, crocodilos, jacarés e lagartos. Todos são diferenciados pelos padrões complicados da pele escamada do animal. Alguns couros de réptil são restringidos de uso por leis que protegem espécies em extinção.

Serpente

Ver réptil

Toquee

Sensação de suavidade e caída provocada pelo couro ao tato

Tubarãoe

O couro de tubarão é feito com a pele de algumas espécies e utilizando principalmente em sapatos, cintos, pulseiras de relógio, malas, artigos finos e para finalidades industriais. È normalmente marrom e branco ou preto e branco, e é caracterizado através das escamas muito pequenas.

Vegetalee

Um couro nobre, derivado do gado bovino, de pele pequenas, toque macio, o que o torna um produto com características naturais.

Viteloe

Couro derivado de gado bovino, de peles finas, poros fechados, permite um visual de vanguarda, requer manutenção de polimento constante.

Wet bluee

Peles curtidas ao cromo em estado úmido.

Cadastre seu e-mail e receba novidades:

Nome:  E-mail: